Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ESTIMATIVA DE PARAMETROS GENETICOS PARA CARACTERES MORFO-AGRONOMICOS ENTRE CULTIVARES DE MARACUJA (PASSIFLORA SP.)

Introdução

O Brasil tem posição de destaque na fruticultura mundial no cultivo de maracujá, principalmente com o lançamento de cultivares melhoradas que possibilitaram a expansão de novas fronteiras agrícolas. Porém algumas limitações que desencadeiam baixa produtividade em frutos de maracujá estão associadas ao uso inadequada de variedades, mudas contaminadas por fungos e de origem duvidosa, falta de esquema apropriado de adubação e corretivos para acidez do solo, e manejos inadequados ou falta deles para irrigação, pragas, doenças e polinização manual. Assim, na tentativa de alcançar altas produtividades é necessário considerar aqueles fatores limitantes, bem como a ampla variabilidade presente em espécies do gênero Passiflora que possam refletir a necessidade do melhoramento genético no desenvolvimento de variedades com atributos agronômicos desejáveis, seja para sua introdução direta nos sistemas de produção, assim como para aqueles passíveis de serem utilizados em programas de melhoramento. Então, o objetivo deste trabalho visa quantificar a variabilidade estimando os parâmetros genéticos para caracteres morfo-agronômico entre cultivares melhoradas de maracujá.

Resumo

O Brasil ocupa o posto de maior produtor e consumidor mundial de maracujá, porém com baixas produtividades, o que pode ser melhorado observando os fatores limitantes da cultura e a ampla variabilidade presente em espécies do gênero Passiflora que possa refletir a necessidade do melhoramento genético no desenvolvimento de cultivares para caracteres fenotípicos desejáveis. O objetivo visa quantificar a variabilidade estimando os parâmetros genéticos para caracteres morfo-agronômico entre cultivares melhoradas de maracujá. No estudo avaliou-se 12 caracteres morfo-agronômicos para cinco genótipos de cultivares de Passiflora sp. em um delineamento experimental em blocos ao acaso com quatro repetições e parcelas perdidas realizados na Fazenda Novo Sabor, Conceição do Araguaia-PA. A análise de variância mostrou-se significativo a 1% de probabilidade para os caracteres CLF1 e CTF1, com reflexos em baixos valores de CVe% (<10%) para CLF1 (7,46%), RLT1 (7,75%), CLF2 (8,32%) e CTF2 (7,13%). Enquanto que a h2m apresentou valores altos (>40%) para variáveis CLF1 (85,10%), CTF1 (84,17%), RLT1 (74,15%), CLF2 (79,02%), ESC (78,47%) e REP (78,07%). Para o teste de comparação de médias de Tukey a 5% de probabilidade, a cultivar em destaque foi a Gigante Amarelo para os descritores CLF1 e CTF1. Assim, conclui-se que a variabilidade observada para os caracteres estudados podem ser objeto de seleção para futuros programas de melhoramento.

Objetivos

O objetivo deste trabalho visa quantificar a variabilidade estimando os parâmetros genéticos para caracteres morfo-agronômico entre cultivares melhoradas de maracujá.

Material e Método

O material utilizado foram sementes de frutos de maracujá (Plassiflora sp.) de quatro cultivares melhoradas da Embrapa Cerrados/DF, entre eles estão BRS Gigante Amarelo, BRS Pérola do Cerrado, BRS Rubi do Cerrado, BRS Mel do Cerrado e uma testemunha de ocorrência natural da região objeto do estudo. O delineamento empregado foi o blocos ao acaso com quatro repetições e cinco tratamentos distribuídos em 20 parcelas localizada na Fazenda Novo Sabor, município de Conceição do Araguaia/PA.
Os descritores morfo-agronômicos empregados na caracterização foram: comprimento longitudinal das folhas (CLF1); comprimento transversal das folhas (CTF1); relação do comprimento longitudinal e transversal das folhas (RLT1); comprimento do pecíolo, (CPE); comprimento longitudinal do fruto (CLF2); comprimento transversal do fruto (CTF2); relação do comprimento longitudinal e transversal do fruto (RLT2); espessura da casca (ESC); massa média do fruto (MMF); massa média da casca (MMC); massa média da polpa (MMP); e rendimento de polpa (REP).
Os dados foram submetidos à análise variância (ANAVA) ao programa estatístico GENES (CRUZ, 2008), opção “blocos casualizados com parcelas perdidas”, resultando em quadrados médios entre amostras, confrontando-os com testes de hipóteses e comparação de médias (teste Tukey a 5% de probabilidade), gerando também a média geral e as estimativas componentes de variância associados aos efeitos de variância genética (Vg); ambiental (Ve); e fenotípica (Vf), bem como parâmetros genéticos para herdabilidade da média de genótipos (h2m); coeficiente de variação genética (CVg%); e ambiental (CVe%).

Resultados e discussão

A análise de variância apresentou valores para quadrados médios altamente significativos a 1% de probabilidade para os caracteres CLF1 e CTF1, e significativos a 5% de probabilidade para os caracteres RLT1, CTF2, ESC e REP, quanto submetidos ao teste F, Fisher (Tabela 1). Outra variação notável foi aquela que garante precisão ao ensaio, como o coeficiente de variação ambiental (CVe%), o que exibiu valores abaixo de 10% para os caracteres CLF1 (7,46%), RLT1 (7,75%), CTF2 (8,32%) e CLF2 (7,13%), sendo assim considerados de ótima acurácia.
Jesus et al. (2014) encontraram resultados muitos próximas desta pesquisa quando obtiveram variações para características morfo-agronômica com valores médios de 10,74 cm para comprimento da planta; e 13,02 cm para largura da planta, estando as duas características associadas a atividade fotossintética, bem como valores médios de 5,75 cm para diâmetro transversal do fruto; e 31,57%, de rendimento de polpa, essas variáveis estão diretamente relacionadas a produtividade e consequentemente irão produzir frutos com melhor competitividade no mercado.
Quanto as estimativas de parâmetros genéticos constatou-se considerável variabilidade genética em vista da magnitude da variância genética (Vg) e coeficiente de variação genética (CVg%) para os caracteres CLF1, CTF1, RLT1, CTF2 e ESC. Já a herdabilidade média de genótipos (h2m), este serve para indicar o quanto da variação fenotípica é de origem genética, e que valores maiores que 40% são vistos como excelentes para fins de seleção de indivíduos. Assim, os resultados na tabela 1 demostraram h2m alta para os caracteres CLF1 (85,10%), CTF1 (84,18%), RLT1 (74,15%), CTF2 (79,02%) e ESC (78,47%), o que pode ser explicado pela variabilidade genética expressa pelo CVg% associada ao baixo valor do CVe%.
Gonçalves et al. (2007) estimaram coeficientes de herdabilidade alta em uma população de maracujá-amarelo com 85,33% e 69,83% para os descritores largura do fruto e espessura da casca, respectivamente, demonstrando semenhança aos caracteres CTF2 e ESC neste estudo.
Para análise de comparação de médias pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade foi evidenciado diferenças entre os tratamentos para os caracteres CLF1, CTF1, RLT1, CTF2, ESC e REP (Tabela 2), com a cultivar Gigante Amarelo obtendo média diferenciada das demais cultivares para os caracteres CLF1 e CTF1, enquanto que a cultivar Mel do Cerrado se destacou para os descritores RLT1 e ESC.
Ataídes et al. (2004) também observaram diferenças não significativas para o caráter massa da casca (MC) e diâmetro longitudinal dos frutos (DL) se comparadas as médias dos cultivares FB-100, FB-200, BRS Rubi do Cerrado, BRS Ouro Vermelho, BRS Sol do Cerrado, BRS Gigante Amarelo quando avaliados no ano/safra em 2012, o que evidenciou similaridade com a pesquisa para os descritores MMC e CLF2.

Conclusões/Considerações Finais

As avaliações do material genético são promissoras para os caracteres CLF1, CTF1, RLT1, CTF2, ESC e REP, tendo a estimativa de herdabilidade das cultivares Gigante do Cerrado, Mel do Cerrado e Pérola do Cerrado como boa indicação para seleção de indivíduos superiores e criação de nova variabilidade genética.

Referências Bibliográficas

ATAÍDES E. M. et al. Produtividade e característica de frutos de seis cultivares de maracujazeiro azedo no Semiárido Pernambucano. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 23. 2014, Cuiabá. Anais... Cuiabá, MT: Sociedade Brasileira de Fruticultura. 2014.

CRUZ, C. D. Programa genes: diversidade genética. Ed. Viçosa, MG: UFV. 2008. 278 p.

JESUS, F. N. et al. Caracterização morfoagronômica de acessos da coleção de maracujá da Embrapa Mandioca e Fruticultura. Cruz das Almas, BA: Embrapa Mandioca e Fruticultura, 2014. (Embrapa Mandioca e fruticultura. Boletim de Pesquisa, 61).

GONÇALVES, G. M. Seleção e herdabilidade na predição de ganhos genéticos em maracujá-amarelo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v. 42, n. 2, p.193-198, fev. 2007.

Palavras Chave

Análise univariada, cultivares, descritores fenotípicos, parâmetros genéticos.

Arquivos

Área

Grupo I: Produção Agrícola (Vegetal)

Autores

RICARDO ALEXANDRE MORAES DA SILVA, JHONATAN CHAVES FREITAS, HITALLO NERES SANTOS