Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

SELETIVIDADE DE INSETICIDAS A COTESIA FLAVIPES NA CULTURA DA CANA-DE-AÇUCAR

Introdução

A cana-de-açúcar se tornou uma grande alternativa para o setor de biocombustíveis devido à produção de etanol e de outros subprodutos, sobretudo, alternativa para produção de energia elétrica (CONAB, 2020). Com a expansão das áreas de cultivo, surgem pragas como a Diatraea saccharalis, que causa danos à planta, afetando a produtividade. Intensidade de dano por D. saccharalis em torno de 1% pode causar 0,77% de redução no peso da cana, 0,25% na produção de açúcar e 0,20% na produção do álcool. Em determinadas regiões a população dessa praga aumentou devido alguns fatores como a utilização de variedades suscetíveis e adoção de práticas de manejos inadequadas (MIP) (DINARDO-MIRANDA et al., 2011).
Levando em consideração o manejo integrado de pragas, a aplicação de inseticidas deve ser realizada, se necessária, visto o nível de controle específico para cada inseto praga (ALVES; SERIKAWA, 2006). Outra opção para a sustentabilidade do agronegócio é a utilização de estratégias de manejo integrado de pragas (MIP), que visa compatibilizar o uso do controle biológico com defensivos agrícolas seletivos aos inimigos naturais. Em sistemas que visam reduzir o número de insetos nocivos, a seletividade é a chave para MIP, ao mesmo tempo em que altera ou afeta o menos possível o agroecossistema e outros componentes do meio ambiente (SANTOS et al., 2006).

Resumo

Com o crescimento e expansão de novas áreas de produção de cana-de-açúcar, simultaneamente, ocorrem pragas que causam danos à cultura e, o controle químico, bem como a preservação de inimigos naturais, nesse cenário, se faz importante. Sendo assim, o objetivo da execução deste trabalho foi avaliar a seletividade de inseticidas à vespa Cotesia flavipes, utilizados na cultura da cana de açúcar. O experimento foi conduzido em delineamento de blocos completos casualizados, com 6 tratamentos repetidos por 5 vezes. Após 12 horas, previamente à aplicação dos tratamentos, foram liberadas vespas em todas as unidades experimentais, à exceção da testemunha. Ainda, estes foram constituídos por Cotesia flavipes apenas, lambda-cialotrina (50 g ha-1) + clorantraniliprole (100 g ha-1), fipronil (800 g ha-1), metoxifenozida (300 g ha-1) + espinetoram (60 g ha-1) e tiametoxam (141 g ha-1) + lambda-cialotrina (106 g ha-1). Foram avaliados o número de lagartas, quantidade de orifícios, cana broqueadas e colmos danificados (raspagem). Ao final do ciclo da cultura (maturidade fisiológica) foram coletadas 10 plantas, consecutivas em cada parcela, as quais foram cortadas ao meio e avaliado o parasitismo e podridão. Os tratamentos não se diferiram quanto ao número de lagartas, broca parasitada e podridão do colmo. O tratamento com lambda-cialotrina (50 g ha-1) + clorantraniliprole (100 g ha-1) causou menor taxa de mortalidade quando comparado aos outros tratamentos, podendo-se dizer que não foi nocivo ao parasitóide Cotesia flavipes. Os inseticidas não interferiram no parasitismo de Cotesia flavipes, ou seja, foram seletivos.

Objetivos

Sendo assim, o objetivo da execução deste trabalho foi avaliar a seletividade de inseticidas a Cotesia flavipes na cultura da cana de açúcar.

Material e Método

O experimento foi conduzido na Fazenda Campo Alegre, de coordenadas, 17º13’380”S, 050º26’151”W, em cana planta, variedade IAC95-5094. Por sua vez, conduzido em delineamento de blocos casualizados, com 6 tratamentos e 5 repetições. Foi monitorada a infestação de D. saccharalis, e atingido o nível de 3%, foram aplicados os tratamentos. Estes foram constituídos de testemunha (água destilada), Cotesia flavipes, lambda-cialotrina (50 g ha-1) + clorantraniliprole (100 g ha-1), fipronil (800 g ha-1), metoxifenozida (300 g ha-1) + espinetoram (60,0 g ha-1) e tiametoxam (141 g ha-1) + lambda-cialotrina (106 g ha-1). As parcelas foram dimensionadas em 25 m de largura por 25 m de comprimento (725 m²) e linhas de cultivo espaçadas de 1,50 m. No período de 10 horas após a aplicação dos tratamentos, foi realizado a liberação de um copo com aproximadamente 750 vespas de C. flavipes em cada parcela.
A distância entre parcelas foi dimensionada em 725 m² (observada a autonomia de vôo do parasitoide). As avaliações, prévia e posteriores à aplicação, foram realizadas em 2 linhas da cultura, paralelas, com 5 metros cada (10 metros), posto que avaliou-se o número de lagartas, quantidade de orifícios, de cana broqueadas e colmos broqueados (raspagem). As avaliações foram realizadas aos 30 e 60 dias após a primeira aplicação. Ao final do ciclo da cultura (maturidade fisiológica) foram coletadas 10 plantas, consecutivas em cada parcela, as quais foram cortadas ao meio e avaliado lagartas parasitadas e podridão do colmo.
A normalidade foi aferida pelo teste de Shapiro Wilk e os dados relacionados aos indivíduos sobreviventes em cada tratamento, bem como o parasitismo, Avaliou-se a sobrevivência das vespas e lagartas, o parasitismo e as massas de pupas do parasitóide.foram transformados pela função √(x+5) e submetidos à análise de variância e ao teste de tukey a 5% de probabilidade, utilizando o software estatístico SISVAR.

Resultados e discussão

Os tratamentos não se diferiram quanto ao número de lagartas, broca parasitada e podridão do colmo (tabela 1). O inseticida lambda-cialotrina (50 g ha-1) + clorantraniliprole (100 g ha-1) obteve menor quantidade de colmo broqueado, cana broqueada e número de orifício, quando comparado com a testemunha e a Cotesia flavipes, mas não diferiu de fipronil, metoxifenozida (300 g ha-1) + espinetoram (60,0 g ha-1) e tiametoxam (141 g ha-1) + lambda-cialotrina (106 g ha-1), respectivamente. Arrigoni (2002), ao realizar trabalhos com diferentes cultivares no final da década de 1990, observou que a cada 1% de entre nó brocados por Diatraea saccharalis, houve uma redução de produtividade em relação ao número de colmos (-1,50%), sacarose (-0,49%) e etanol (-0,28%).
Trabalhos realizados por Oliveira et al, (2013) os adultos de Trichogramma galloi (F0) que foram tratados com inseticidas e entraram em contato com ovos de Diatrea saccharalis, promoveram alta taxa de mortalidade em relação à testemunha. Portanto produtos como clorantraniliprole, M. anisopliae e triflumurom, obtiveram classificação como inócuos com taxa de mortalidade abaixo de 30%. Mas alguns produtos como fipronil, tiametoxam e lambda cialorina + tiametoxam causaram alta taxa de mortalidade dos parasitoides (classe 4), causando até 100% de mortalidade. O inseticida Etiprole causou menos danos, sendo considerado classificação 3.



Conclusões/Considerações Finais

O tratamento com lambda-cialotrina (50 g ha-1) + clorantraniliprole (100 g ha-1) causou menor taxa de mortalidade quando comparado aos outros tratamentos, podendo-se dizer que não foi nocivo ao parasitóide Cotesia flavipes.
Os inseticidas não interferiram no parasitismo de Cotesia flavipes, ou seja, foram seletivos.

Referências Bibliográficas

ARRIGONI, E. B. Broca da cana-de-açúcar: Importância econômica e situação atual. In: ARRIGONI, E. B.; DINARDOMIRANDA, L. L.; ROSSETTO, R. Pragas da cana-de açúcar – Importância econômica e enfoques atuais. Piracicaba: STAB/IAC/ CTC, 2002.

ALVES, A. P.; SERIKAWA, R. H. Controle químico de pragas do algodoeiro. Revista Brasileira de Oleaginosas e Fibrosas, Campina Grande, v.10, n.3, p.1197-1209, 2006.

CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento). Acompanhamento da Safra Brasileira da cana-de-açúcar. safra 2019/2020, terceiro levantamento, Brasília, 2019, v. 6, n. 1, p. 58.

DINARDO MIRANDA, L. L.; FRACASSO, J. V.; PERECIN, D. Variabilidade espacial de populações de Diatraea saccharalis em canaviais e sugestão de método de amostragem. Bragantia, v. 70, n. 3, p. 577-585, 2011.

OLIVEIRA, H. N.; ANTIGO, M. R.; CARVALHO, G. A.; GLAESER, D. F.; PEREIRA, F. F. Seletividade de inseticidas utilizados na cana-de-açúcar a adultos de Trichogramma galloi zucchi (Hymenoptera: Trichogrammatidae). Biosciense Journal., Uberlândia, v. 29, n. 5, p. 1267-1274, 2013.

SANTOS, A. C.; BUENO, A. F.; BUENO, R. C. O. F. Seletividade de defensivos agrícolas aos inimigos naturais, p. 221-227. In Pinto AS, Nava DE, Rossi MM, Malerbo-Souza D.T. (eds). Controle biológico de pragas na prática. Piracicaba, 287p, 2006.

Palavras Chave

controle biológico, inseticidas de amplo espectro, manejo integrado de pragas, parasitoide de larvas

Arquivos

Área

Grupo I: Produção Agrícola (Vegetal)

Autores

ELIZABETE LOURENÇO PIRES, RONES DIAS COSTA, MARCOS VINÍCIUS ALVES LELES, NICOLAS GONÇALVES LEITE PEREIRA, EDUARDO LIMA CARMO