Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DENSIDADE DE GLOMEROSPOROS DE FUNGOS MICORRIZICOS ARBUSCULARES EM PASTOS COM PRESENÇA DE BRACHIARIA BRIZANTHA E ATTALEA SPECIOSA MART

Introdução

Os fungos micorrízicos arbusculares se associam com cerca de 70% das plantas
conhecidas (BRUNDRETT, 2009), assim aumentando a área da superfície ‘radicular’
permitindo maior capacidade de absorção de água (NADEEM et al., 2014), além de benefícios
nutricionais e adaptativos, os quais proporcionam maior desenvolvimento e produtividade nas
plantas (PEDONE-BONFIM et al., 2018). O conhecimento de fatores que afetam a diversidade
de FMA e sua interação com plantas é essencial para o manejo mais sustentável do solo
(MIRANDA et al., 2001). Onde, a importância ecológica dos FMA ocorre o nível das espécies
(MERGULHÃO et al., 2014). Alta frequência de fogo e curtos tempos de pousio aumentam a
dominância da palmeira ruderal babaçu (Attalea speciosa Mart.), diminuindo o potencial
produtivo da terra e aumentando a pobreza rural (GEHRING, 2006). As palmeiras tropicais
geralmente têm 'raízes finas' relativamente grossas e parcialmente lignificadas com poucos
pelos radiculares (VAN DER HEIJDEN et al., 2015).

Resumo

No Maranhão e nos trópicos úmidos a agricultura familiar sofre com o uso insustentável
do solo, especialmente por causa dos ciclos repetidos de corte e queima e agricultura itinerante.
Nesse contexto, a palmeira babaçu consegue se adequar bem já que possui grande poder de invasão
de áreas perturbadas. Os FMA, têm a capacidade de associar-se com as raízes de cerca de 70% das
espécies de plantas conhecidas. Palmeiras tropicais geralmente têm 'raízes finas' relativamente
grossas e parcialmente lignificadas que frequentemente forma uma associção micorrizica forte.
Este trabalho investiga o grau de associação micorrízica da palmeira babaçu relativo à uma
gramínea considerada generalista na sua micorrização. Foram escolhidos quatro pastos com
pastagens pura de Urochloa brizantha var ‘marandú’, cada um com três ‘ilhas’ de babaçu, e cada
‘ilha’ com três distâncias amostrais: ‘dentro’ , ‘perto’ e ‘longe’.A coleta amostral foi feita no final
das chuvas (05/2019) na profundidade (0-10cm ).Os glomerosporos das amostras 0-10cm foram
extraídas e feita a triagem para contagem. Análise bifatorial mostrou significantes efeitos /
diferênças entre os quatro pastos, efeitos da distância às ‘ilhas de babaçu’, e ausência de interação
significante entre estes dois fatores. A densidade dos Glomerosporos foi significantemente maior
dentro das ilhas de babaçu do que dentro do pasto (tanto nas distâncias ‘perto’ e ‘longe’). Deste
modo confirmam-se os resultados de pesquisas anteriores sobre a forte associação do babaçu
com FMA, oferecendo assim uma explicação parcial do sucesso excepcional desta palmeira
ruderal em áreas e solos degradados, pobres em nutrientes e sofrendo estresse hídrico.

Objetivos

Este trabalho investiga o grau de
associação micorrízica da palmeira babaçu relativo à uma gramínea considerada generalista
na sua micorrização.

Material e Método

As áreas amostrais estão localizadas no município de Pirapemas (03º
43’ S, 44º 13’ W) mesorregião Norte Maranhense com clima caracterizado como tropical
úmido. Esta região no Maranhão-central faz parte da ‘Zona dos Cocais’ com predominância
de pastos extensivos e degradados, e com uma alta dominância do babaçu e de outras
palmeiras.A amostragem do solo (0-10 cm) foi efetuada no final da época chuvosa (Junho de
2019) em quatro pastos puros de braquiária (Urochloa brizantha) com ‘ilhas’ de babaçu. Cada
pasto conta com três ‘ilhas’ de babaçu, e amostras retiradas em três distâncias destas ilhas de
babaçu (dentro, perto, longe). Os glomerosporos foram extraídos de 50 g de solo pelo método
de peneiramento úmido (GERDEMANN; NICOLSON, 1963), centrifugados em água e
solução sacarose (JENKINS, 1964). Estes propágulos foram contados com auxílio de placa
canaleta e microscópio estereoscópico e separados por cor e tamanho.Nos dados da densidade
total de Glomerosporos foram constatados (i) normalidade de distribuição de dados
(visualmente via histograma + testes de Kolmogorov-Smirnov e Liliiefor´s) e (ii)
homogeneidade de variância (teste de Levene), permitindo análise paramétrica dos dados
como ANOVAs mono- e bifatoriais.

Resultados e discussão

A Tabela 1 mostra os resultados de análise bifatorial da densidade total de Glomerosporos, com efeito significante tanto do fator ‘pastos’ (diferênças significativas entre os 4 pastos) quanto do fator ‘distância’ (dentro, perto e longe das ilhas de babaçu), mas sem interação entre estes dois fatores. Esta ausência aponta a efetos relativos semelhantes de distância do babaçu em cada um dos quatro pastos, indicativo da validade geral dos resultados aqui gerados.
A figura 2 mostra os medianos, 25/75-percentis e min/Max da quantidade de Glomerosporos 50 cm-3 de solo nas três distâncias amostrais (sobre todos os quatro pastos). Dentro da ilha do babaçu, e no pasto perto e longe desta.
Figura 2. Densidade de Glomerosporos-total em 50cm-1 de solo (0-10 cm) na posição amostral dentro de ilha de babaçu, e no pasto com distâncias ‘perto’ (2,5 – 4 m) e longe (> 10 m) destas ilhas (médias, erro padrão, desvio padrão).
Rearfirmam-se assim os resultados encontrados por Nobre et al. (2018), no qual a densidade do glomerosporos foram fortemente afetadas pela presença e dominância do babaçu, apontando para um alto nível de associação micorrízica desta palmeira ruderal. Logo, o fato de haver uma diminuição na densidade de esporos a medida que o ponto amostral se afasta das palmeiras pode está relacionado a este distanciamento, também encontrado por Nobre et al. (2018), no qual a riqueza destes fungos aumentou com o domínio da palmeira em SEC e reduziu com a distância das ‘ilhas’ de babaçu em PAS. Existem fortes diferenças na esporulação micorrízica associados às espécies hospedeiras (MOREIRA; SIQUEIRA, 2006). Segundo Robles Angelini et al. (2012), plantas com sistema radicular abundante e de rápido crescimento favorecem uma maior esporulação micorrízica, melhor contato entre raízes e propágulos de FMAs e grande capacidade de fornecer fotossintatos aos fungos, características essas típicos para o sistema radicular das gramíneas (JESKE et al., 2018). A sazonalidade e outro fator que afeta fortemente a quantidade de Glomerosporos no solo. Estas amostras foram retiradas na fase de transição entre a época chuvosa e seca. Contudo, vários fatores podem afetar a produção de glomerosporos no solo, sendo o manejo um fator que pode está relacionada a essa pequena variação de densidade entre as distâncias amostradas, é o fato da amostragem ter sido realizada na transição entre época chuvosa e seca.

Conclusões/Considerações Finais

‘Dentro’ das ilhas de babaçu a densidade total de Glomerosporos foi significantemente maior em relação as áreas de pasto (tanto nas distâncias ‘perto’ e ‘longe’ do babaçu). Os resultados aqui encontrados reafirmam a forte associação da palmeira ruderal babaçu com FMA, encontrada também em outros estudos, assim oferecendo uma possível explicação para o grande sucesso ecológico desta palmeira ruderal em solos degradados (ácidos, pobres em nutrientes, sofrendo frequente estresse hídrico).

Referências Bibliográficas

BRUNDRETT, M. C. Mycorrhizal associations and other means of nutrition of vascular plants:
understanding the global diversity of host plants by resolving conflicting information and
developing reliable means of diagnosis. Plant and Soil v. 320, p. 37–77. 2009.
NADEEM, S. M. et al. The role of mycorrhizae and plant growth promoting rhizobacteria
(PGPR) in improving crop productivity under stressful environments. Biotechnology
Advances, New York, v. 32, n. 2, p. 429-448, 2014.
PEDONE-BONFIM, M. V. L. et al. Mycorrhizal benefits on native plants of the Caatinga, a
Brazilian dry tropical forest. Symbiosis. v. 74, n. 2, p. 79 88. 2018.
MIRANDA, E. M.; SILVA, E. M. R.; SAGIN JUNIOR, O. J. Comunidades de fungos
MITJA, D.; FERRAZ, I. D. K. Establishment of babassu in pastures in Pará, Brazil. Palms,
v. 45, n. 3, p. 138-147, 2001.
MERGULHÃO, A. C. E. S.; SIVA, M. V. da; LYRA, M. C. C. P. de; FIGUEIREDO, M. V. B.;
micorrízicos arbusculares associados ao amendoim forrageiro em pastagens consorciadas no
Estado do Acre, Brasil. Acta Amazônica, Rio Branco, v. 40, n. 1, p. 13-22, 2010.
GEHRING, C. O ambiente do trópico úmido e o manejo sustentável dos agrossistemas. Em:
MOURA, E. G. D.; AGUIAR, A. D. C. F. (Ed.). O desenvolvimento rural como forma de
ampliação dos direitos no campo: Princípios e tecnologias. São Luís: Estação Produções
Ltda, v.2, p.101-140, 2006.
VAN DER HEIJDEN, M.G .; Martin, F.M .; Selosse, M.A .; Sanders, I.R. Ecologia e evolução
micorrízicas: o passado, o presente,e o futuro. New Phytologist, v.205, p.1406-1423, 2015.
GERDEMANN, J. W.; NICOLSON, T. H. Spores of mycorrhizal endogone species extracted
from soil by wet sieving and decanting. Transactions of the British Mycological Society, v.
46, p. 235-244, 1963.
JENKINS, W. R. A rapid centrifugal-flotation technique for separating nematodes from
soil. Plant Disease Reporter, St. Paul, v. 48, p. 692, 1964.
MOREIRA, F. S.; SIQUEIRA, J. O. Microbiologia e Bioquímica do Solo. Editora UFLA,
Lavras, MG, Brasil, 2006.
NOBRE, C. P.; COSTA, M. G. da; GOTO, B. T.; GEHRING, C. Arbuscular mycorrhizal fungi
associated with the babassu palm (Attalea speciosa) in the eastern periphery of Amazonia,
Brazil. Acta Amazonica, v. 48, n. 4, p. 321-329, 2018

Palavras Chave

Glomerosporos, Hifas, Planta, Solo.

Arquivos

Área

Grupo IV: Ciências do solo

Autores

NATALIA DA CONCEIÇAO LIMA, NATHALIA DA LUZ OLIVEIRA, LUANA CORREIA SILVA, ADRIELY SÁ MENEZES DO NASCIMENTO, CAMILA PINHEIRO NOBRE, CHRISTOPH GEHRING, LEANY NAYRA ANDRADE RIBEIRO, GISELLE CRISTINA SILVA CARNEIRO