Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE QUIMICA DE FRUTOS DE KIWI COMERCIALIZADOS EM SUPERMERCADOS DA CIDADE DE SAO LUIS – MA

Introdução

O kiwi é uma das culturas frutíferas mais importantes no comércio internacional, a produção mundial de kiwis chega a ultrapassar 2,4 milhões de toneladas por ano, sendo a China responsável por metade da produção total, países como Nova Zelândia, Chile, Itália e Grécia também exportam quantidades consideráveis do fruto (MORGADO, 2016). Nos anos de 2016 e 2017 o Chile produziu cerca de 224.871,5 toneladas de kiwi, o país é grande exportador para o Brasil, principalmente dos frutos do código 4030, o qual os caracterizam como não orgânicos, cultivados de forma convencional e não modificados geneticamente, considerado como fruto tradicional (FAO, 2019).

Resumo

O Kiwi, pertencente ao gênero Actinidia, tornou-se um sucesso entre os consumidores pelo seu sabor e suas qualidades nutricionais. O objetivo do trabalho foi realizar análises químicas em frutos de kiwi comercializados em diferentes bairros de São Luís – MA. O experimento foi conduzido no laboratório de Fitotecnia e Pós-Colheita da Universidade Estadual do Maranhão. Foram adquiridos frutos de kiwi código- 4030 de supermercados em diferentes bairros da cidade de São Luís - MA. O delineamento utilizado foi inteiramente casualizado, com quatro tratamentos representando os bairros e três repetições, os tratamentos foram: T1= Cidade Operária, T2 = Turu, T3 = Ipase, T4 = São Cristóvão. As qualidades químicas avaliadas foram: sólidos solúveis totais (SST); acidez total titulável (ATT); pH e ratio (SST/ATT). Os dados foram submetidos à análise de variância e teste de média Scott Knott do programa InfoStat com nível de 5% de probabilidade para as variáveis que apresentaram diferenças significativas. As características químicas dos frutos apresentaram diferenças significativas entre os tratamentos. Na ATT o T4 se sobressaiu e no SST o T2 apresentou valor maior em relação ao T1 que em ambos foi considerado o menor valor da tabela. o ratio dos frutos apresentou valores adequados para comercialização in natura. Portanto, os frutos comercializados nos diferentes bairros da cidade tiveram bons atributos químicos o que indica que os compradores estão consumindo produtos de qualidade.

Objetivos

Por ser um fruto muito apreciado in natura tem-se a necessidade de conhecer como se apresentam os atributos que tanto atraem os consumidores, com isso objetivou-se realizar análises químicas em frutos de kiwi comercializados em vários
supermercados da cidade de São Luís – MA

Material e Método

O experimento foi conduzido no laboratório de Fitotecnia e Pós-Colheita da Universidade Estadual do Maranhão, em que foram adquiridos frutos de kiwi código- 4030 de vários supermercados da cidade de São Luís - MA. O delineamento utilizado foi inteiramente casualizado - DIC, com quatro tratamentos referentes aos bairros e três repetições, T1: Cidade Operária, T2: Turu, T3: Ipase, T4: São Cristóvão. As qualidades químicas avaliadas foram: sólidos solúveis totais (SST) com o uso do refratômetro digital (NOVA DR 90) de acordo com a ISO 2173 (2003); Acidez total titulável (ATT), determinada por titulometria conforme a ISO 750 (1998), pH e Ratio químico, obtido pela divisão dos valores de SST pelos valores de ATT. Em cada tratamento foram avaliadas quatro amostras contendo três frutos por amostra, os quais foram triturados para em seguida serem realizadas as análises. Os dados avaliados foram submetidos à análise de variância (ANOVA) e teste de média Scott Knott com nível de 5% de probabilidade para as variáveis que apresentaram diferenças significativas. Para a execução das análises estatísticas foi usado o programa InfoStat (BALZARINI et al., 2012).

Resultados e discussão

Ao analisar as características químicas dos frutos notou-se que de modo geral houve diferença significativa entre os valores das variáveis analizadas em razão da diferença entre os supermercados. Os valores de pH encontrados no presente estudo não apresentaram variância significativa (3,37 – 3,54, com exceção do T2, que apresentou o maior valor de pH (Tabela 1). Esses dados são semelhantes ao encontrado por Fattahi et al. (2010) que relataram um pH de 3,60, Souza et al. (2012) relataram pH= 3,36 em análise físico-química do néctar do kiwi. A análise da acidez total titulável (ATT) apresentou diferença significativa, os frutos do bairro São Cristóvão – T4 apresentaram teor ácido aproximadamente 30% maior que a ATT dos frutos do bairro Cidade Operária – T1, que apresentaram o menor valor na tabela. No contexto geral apenas o T4 apresentou valor dentro do padrão mínimo exigido de 1,3 g/100g (MAPA, 2018).
Houve diferença significativa na análise de sólidos solúveis totais (°Brix), um parâmetro importante na determinação de maturação do kiwi e na determinação da qualidade dos frutos. Os frutos de kiwi do bairro Turu – T2 apresentaram o maior teor de sólidos solúveis totais (SST) entre os tratamentos, sendo 28,57% maior que o teor de SST dos frutos do bairro Cidade Operária – T1 (indicado como o menor). Apesar do T1 ter apresentado o menor valor de SST, ainda sim todos os tratamentos tiveram frutos que se encontram dentro do valor exigido pelas normas oficiais, que é de no mínimo 10°Brix (MAPA, 2018).
Os resultados desse trabalho encontram-se em concordância com os observados por vários autores. Iesen et al. (2013) encontraram um valor médio de 13,53±0,88 ºBrix. Gomes et al. (2012) estudando a caracterização física e química de kiwi in natura e polpa, relataram teores de sólidos solúveis entre 13,8 e 15,2 ºBrix. Heiffig et al. (2006) também encontraram resultados semelhantes (entre 11,85 e 14,20) para SST de frutos de Kiwi minimamente processados. Em estudo comparativo com diferentes variedades de kiwi, Farias et al. (2017) obtiveram valores de SST menores aos encontrados nesse trabalho, sendo 10,05 ºBrix para var. Bruno, 9,56 °Brix para var. Monty e 8,76 ºBrix para var. Tomuri.
O ratio, ou relação SST/ATT, é uma das melhores formas de avaliação do sabor, o qual mostra- se mais representativo que a medição isolada de açúcares ou de acidez, visto que se reflete o balanço entre ambos (IENSEN et al., 2013). Estudos demonstram que na relação açúcar/ácido o ácido desempenha papel importante, pois quando encontrado em grande quantidade poderá resultar em uma fruta mais aceitável.
Observa-se que o tratamento 2 obteve maior valor para ratio, Heiffig et al. (2006) avaliando kiwi em armazenamento obteve resultados de ratio semelhantes ao encontrado nesse trabalho, variando de 9,87 a 10,89. De forma geral, os frutos apresentaram ratio aceitáveis para a comercialização in natura.

Conclusões/Considerações Finais

As características químicas diferiram entre os tratamentos, apesar dos frutos do bairro Turu terem apresentados os melhores atributos químicos, de modo geral, os frutos comercializados em todos os bairros tiveram boas qualidades químicas, o que permite incentivar o consumo desses frutos in natura.

Referências Bibliográficas

BALZARINI, M., DI RIENZO, J., TABLADA, M., GONZALEZ, L., BRUNO, C., CÓRDOBA, M., & CASANOVES, F. Estadística y Biometría. Ilustraciones del uso de Infostat en problemas de agronomía. Universidad Nacional de Córdoba, 2012.
FAO – Food and Agriculture Organization of the United Nations. Disponível em:<http://www.fao.org/brasil/pt/> . Acesso em: 27 jul. 2021.
FARIAS, B.; WURZ, D. A.; ALLEBRANDT, R.; REINEHR, J.; FAGHERAZZI, M. M.; KRETZSCHMAR, A. A. Avaliação de três variedades de Kiwi com potencial de cultivo no município de lages – Santa Catarina. Revista da 14ª Jornada de Pós-Graduação e Pesquisa,
v. 14, n. 14, p. 804-812, 2017.
FATTAHI, J.; FIFAII, R.; BABRI, M. Postharvest quality of kiwifruit (Actinidia deliciosa cv. Hayward) affected by pre-storage application of salicylic acid. South Western Journal of Horticulture, Biology and Environment, v. 1, n. 2, p. 175-186. 2010.
GOMES, A. P. E.; SILVA, K. E. da; RADEKE, S. M.; OSHIRO, A. M. Caracterização física e química de kiwi in natura e polpa provenientes da comercialização de Dourados – MS. Revista de Ciências Exatas e da Terra, UNIGRAN, v.1, n.1, p. 01-08, 2012.
HEIFFIG, S.; AGUILA, S.; KLUGE, R. A. Caracterização físico-química e sensorial de frutos de kiwi minimamente processado armazenados sob refrigeração. Revista Iberoamerianas de Tecnologia Postcosecha, v. 8, n. 1, p. 26–32, 2006..
IENSEN, D.; SANTOS, I. V.; QUAST, E.; QUAST, L. B.; RAUPP, D. S. Desenvolvimento de Geleia de Kiwi : Influência da Polpa , Pectina e Brix na Consistência. UNOPAR Cientifíca. Ciências biológicas e da saúde, v. 15, n.1, p. 369–375, 2013.
INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 1842:1991 (E) Fruit and vegetable products: Determination of pH. ISO, 1991.
INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 2173: 2003 (E) Fruits and vegetable products: Determination of soluble solids. Refractometric method. ISO, 2003.
INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 750:1998 (E). Fruit and vegetable products: Determination of titratable acidity. ISO,1998.
MAPA - Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa nº 37, Edição 194, Seção: 1. p. 23, 2018.
MORGADO, F. M. A. Melhoramento em Actinidia chinensis Planch. e Actinidia deliciosa A. Chev: Clonagem, Indução de poliploides e Avaliação da germinação de póle. 2016. 85 f. Dissertação (Mestrado em Biodiversidade e Biotecnologia Vegetal) - Universidade de
Coimbra, 2016.
SOUZA, E. C.; DIAS, S. C.; CARDOSO, R. L; SOUZA, D. T. Elaboração, avaliação físicoquímica e sensorial da bebida néctar de kiwi. Enciclopédia Biosfera, v. 8, n. 14, p. 1900-1906, 2012

Palavras Chave

Actinidia deliciosa, consumo, qualidade do fruto, ratio.

Arquivos

Área

Grupo I: Produção Agrícola (Vegetal)

Autores

ADRIELY SA MENEZES DO NASCIMENTO, GABRIEL SILVA DIAS, JOSSANYA BENILSY SILVA SOUSA CASTRO, LUIS CARLOS FERREIRA REIS, FERNANDA OLIVEIRA DOS SANTOS, LEANY NAYRA ANDRADE RIBEIRO, BEATRIZ DE AGUIAR DO NASCIMENTO, GISELLE CRISTINA DA SILVA CARNEIRO